A experiência de uma liderança


Discutir o conceito de liderança não é dar caminhos econômicos para o sucesso. Pretendo pensar o conceito de liderança popular, o intelectual orgânico que tanto nos convidou a pensar Antonio Gramsci, demonstrando que são nestes espaços populares, de luta e sociais que se forma um líder. Líder aqui não se faz com um processo eleitoral ad eternum, ao contrário, é construído coletivamente, nas reuniões, nos embates, nas contradições e na certeza de que a experiência de uma liderança seja fruto de um processo histórico construído coletivamente.


Esta simples introdução para falar de uma liderança religiosa, com o saber de um pastor que cuida de suas ovelhas, não somente aquelas do seu redil, mas se preocupa e se ocupa com todos, independente de estarem professando o credo religioso ao qual lhe pertence. Estou falando do Padre Celso Leonel Carpenedo, hoje pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Itapuranga, pertencente à Diocese da Cidade de Goiás.


Padre Celso, como é conhecido com uma liderança que se constituiu na luta, no fazer-se, pois viera do Rio Grande do Sul para viver sob a companhia de D. Tomás Balduíno, na segunda metade da década de 1980. Apreendeu e se constituiu como, primeiramente, Monge do Mosteiro Beneditino da Cidade de Goiás, ordenando-se padre no início do século XX. Sempre estudioso da obra e vida de Jesus Cristo, procura por onde passa, seguir os seus ensinamentos, não se curvando diante das injustiças sofridas do povo, ocupando-se em defender os mais humildes, pobres e mais necessitados.


Como pároco de Itapuranga, há quatro anos, se dedica a uma vida de pregação da Palavra de Deus, mas consubstanciado por um clamor e experiência concreta da vida em comunidade e com muitas ações. Se preocupa com a melhoraria da educação ofertada ao povo, à saúde, ao emprego de qualidade. Luta contra todas as injustiças sofridas, por termos gestores públicos probos e honestos, dando um verdadeiro sentido profético como líder religioso que sempre preconiza uma Igreja em saída e comprometida com as causas dos mais fracos e pequeninos.


Evidente que, para os “donos do poder”, todo este trabalho tem incomodado, haja vista que, aonde estão sendo produzidas injustiças sociais, o Padre Celso está e se coloca como um defensor. Fato contumaz fora a mobilização da sociedade itapuranguense contra a instituição do décimo terceiro salário aos vereadores, prefeito, vice e secretários municipais, quando inúmeras instituições sociais, religiosas e o povo foram para a rua protestar contra tal projeto. Esteve presente o Padre Celso, usando de sua experiência e liderança para colocar a comunidade lutando contra um projeto que veio para penalizar ainda mais os interesses coletivos do povo de Itapuranga.


Nas duas seções realizadas, nos dias 7 e 21 de fevereiro de 2018, respectivamente, esteve presente o Padre Celso e muitas lideranças para protestar contra uma decisão silenciosa e arbitraria do parlamento municipal, ao qual votou o projeto e o aprovou, sem nenhum debate, com destaque para uma voz dissonante que fora o vereador Paulinho Imila (PT).


A sociedade saiu derrotada em termos do projeto, porém, vitoriosa no sentido de que as lideranças religiosas, sindicais, associativas e militantes devem apreender com o Padre Celso e saber-se comprometer para com as causas do povo. O que se viu a partir deste evento fora uma comunidade ciosa e que se fez unidade para produzir outros embates e, quem sabe, mais lideranças com este espírito de pertença esteja sendo experienciado com um saber e labor que nasce e reinventa a partir das questões populares.


Texto de:

Prof. Dr. Valtuir Moreira da Silva (UEG Itapuranga)

65 visualizações

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."

Platão

Contador de 

Visitas:

Siga o Além dos Muros

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon