A pesquisa Datafolha



Divulgada neste domingo, dia 15, pela Folha de São Paulo, a primeira pesquisa de intenção de votos para presidente da República após a prisão do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, trazendo números e dados que confirmam algumas análises que já havia proferido nas Edições do Diário da Comunidade, programa radiofônico veiculado na Rádio Alternativa FM de Itapuranga.


Minha tese contraria algumas analises que davam Lula enfraquecido após sua prisão, algo que não fora demonstrado nos dados e cenários que foram postos o ex-presidente. A pesquisa demonstrou que em todos os cenários que Lula é colocado, o presidenciável venceria no primeiro e segundo turno, demonstrando que o capital eleitoral e político do lulismo está acima do Partido dos Trabalhadores. Por exemplo, quando Lula sai de cena, entrando em seu lugar Fernando Haddad, ou Jacques Vagner, o máximo que conseguiram alcançar foi 2% e 1% das intenções de voto respectivamente.


O que chama atenção neste cenário é que Bolsonaro não ultrapassa os 17%, em sendo Lula candidato, mas lidera em quase todos os cenários sem a presença do ex-presidente, empatando tecnicamente com Marina Silva. Ressalte que Bolsonaro atingiu o seu ponto mais alto, como em outros cenários e institutos que tivemos acesso.


Também chama atenção o crescimento de Marina Silva, sem a presença de Lula, que consegue sair-se melhor em todos os cenários, contrariando outras análises que colocavam a candidata da Rede Sustentabilidade não conseguindo bater a casa dos dois dígitos.


A presença do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, hoje filiado ao Partido Socialista Brasileiro, Joaquim Barbosa é interessante, porque aparece com a variação de 8% a 10% dos votos, podendo enfrentar tanto Bolsonaro, quanto Marina em pé de igualdade.


Em relação ao PSDB uma luz amarela piscou mais forte, pois com Alckmin, em todos os cenários, não conseguiu se colocar como candidato que possa chegar ao segundo turno. O que se pode inferir desse cenário é que, mesmo com Lula, ou sem Lula, Bolsonaro mantém a dianteira, e o ex-governador de São Paulo precisa de mais oxigênio para se cacifar ao segundo turno.


O resumo de todos os cenários postos na pesquisa Datafolha é que Marina Silva, Joaquim Barbosa e Ciro Gomes conseguem números melhores em seus desempenhos diante de alguns cenários e, de sobra, os tucanos não devem ter gostado destes números nesta primeira avaliação com a ausência de Lula.


Evidente que dependendo do caminho que Lula vier a seguir, o mesmo poderá ser o fiel desta balança, podendo levar os partidos de centro esquerda a iniciarem um processo de diálogo e entendimento para enfrentar o discurso mais à direita que se fortalece, agora com Joaquim Barbosa e passará a deixar, de lado, Bolsonaro. São estes os cenários, mas outras possibilidades serão aferidas nas próximas pesquisas. A sorte está lançada!


Texto:

Valtuir Moreira da Silva

(Professor de História da UEG – Câmpus Itapuranga)

8 visualizações

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."

Platão

Contador de 

Visitas:

Siga o Além dos Muros

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon