Filosofia de botecos



Para todos que tenham vivência de vida, por mínima que seja, já disse ou presenciou alguém que disse a frase: “Bem típico de filosofia de boteco”. O que me fez e ainda me faz ficar bem intrigada em relação a determinado pensamento, geralmente, é a confusão que a frase proporciona, pois não traz um pensamento crítico. Bom, alguns dizem que o termo, em um contexto geral, serve para “ironizar” uma fala.


Relatando minha presença em várias rodas de boteco, afirmo que, por diversas vezes surgem muitas teorias boas, e como uma recém graduada que me rodeio de pessoas que são professores/as e acadêmicos/as, digo, o ambiente descontraído e por alguns momentos a famosa “coragem liquida”, eis aqui uma frase que escutei em mesa de boteco, para referir à cerveja, facilita o diálogo de muitos assuntos que não seriam debatidos em um local mais sério.


A diversidade humana é magnifica, e algumas pessoas, como eu, podem ter apego a locais que tragam boas recordações, como os botecos. Quem tem o hábito de frequentar acaba desenvolvendo laços com as pessoas que ali também convivem, somos todos humanos e deixamos nossos rastros em pessoas e ambientes.


Passei a analisar bem as pessoas ao redor, em um barzinho, e notei que ali existem várias histórias, vidas, vivências, desilusões e felicidades. Pessoas que se sentam sozinhas e estão bem, (ou não), outras que parecem felizes ao extremo, acompanhadas, mas que podem estar apenas mascarando uma realidade diferente daquela apresentada.


É impossível saber de tudo que se passa em uma mesa, sobre os pensamentos de todos e as perspectivas, mas é possível afirmar que todos, ali, lutam contra algo pessoal, e que ao se sentirem confortáveis podem liberar as famosas filosofias, desprendendo da sua realidade e viajando em um universo único que pode dificultar o entendimento do outro.


Existe um velho ditado que afirma: “Nossa amizade não foi feita em porta de boteco”. Nunca compreendi bem o sentido da frase, ou a necessidade de diminuir um ambiente que provavelmente não condiz com a realidade da pessoa. Tenho amizades feitas em porta de boteco, e são pessoas que admiro em todas as áreas, são ótimos pais, filhos, profissionais e humanos.


É nesse mesmo ambiente que vejo sempre as pessoas doando dinheiro a quem pede, pagando comida, ajudando, diferente de muitas realidades consideradas nobres. O ato de estar em um boteco não diminui a personalidade de uma pessoa, não modifica seu caráter e nem limita seu nível intelectual. Sendo mais leve com o olhar crítico, é no boteco que surge às frases mais engraçadas.


Nesse sentido, existem vários paralelos e cada pessoa interpreta essas ideias e momentos de descontração de uma forma, sendo produtivo para diálogos mais profundos e para a diversão, e não cabe a ninguém julgar. Cada estilo de vida é uma forma pessoal de ser, e isso é importante.


Os botecos contam histórias em meio a um silêncio barulhento, mas nem todos estão capacitados para decifrar.

19 visualizações

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."

Platão

Contador de 

Visitas:

Siga o Além dos Muros

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon