Meu Corpo, Minha Poesia


Às expressões corporais podem se associar, diretamente, a forma mais sincera de poesia, porque através das expressões transmitimos, ao próximo, o que está em nosso interior, fazendo com que a fala se torne sincera. Mas, nem todos sabem ou estão preparados para nos ler!


Desde o início dos tempos somos subjugadas e influenciadas para calar nossos corpos, deixando de lado nossas próprias vontades e seguindo os comportamentos padronizados, porém, por qual motivo querem nos calar? Quando uma mulher coloca suas vontades e ideias, sendo donas de si, causa um alvoroço, socialmente falando.


A sociedade, em virtude do conservadorismo, sempre esteve acostumada a ter o controle total. Nos dias atuais, há o crescimento de grupos compostos por mulheres que lutam arduamente para poderem ser o que quiserem, deixando um marco na história.


Em várias etapas da história temos o protagonismo feminino como sinônimo de resistência, e a forma de pensamento abrange, junto com a posse do próprio corpo, a liberdade de expressar, comunicando o que sente, como uma forma de arte.


A sociedade, conservadora, espera que a mulher “se dê ao respeito”, afirmando as condutas que deveriam seguir, pautando em escolhas morais, onde as mulheres são obrigadas a esconderem sua força e se tornarem submissas.


De acordo com os preceitos conservadores, o modo de se portar deve ser sempre puro e singelo; não podendo fazer nada que marque a “reputação”, devem, obrigatoriamente, ser delicadas, não podendo falar palavrões, assim como não podem ter uma noite divertida em um barzinho, ir para casa tarde, sozinha, dançar em público, ou sorrir sem parar.


Mas, as mulheres não estão se preocupando com essas censuras, cada dia que passa estão mais alto suficientes. O ato de “se dar ao respeito” pode ser substituído por “dar respeito”, principalmente quando o assunto é sobre o corpo alheio. Deixem e respeitem o fato de as minas dançarem e se divertirem, serem quem elas quiserem e se portarem como quiserem, espalharem suas mais belas poesias pelos becos e vielas.


Aprendam à ler, e somente assim saberão o grande valor que há por trás de cada corpo.

254 visualizações

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."

Platão

Contador de 

Visitas:

Siga o Além dos Muros

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon