Porque Votar em Lula em 2018?

Em uma de minhas caminhadas vespertinas em um dos pontos mais frequentados para este fim na cidade onde moro, pude acompanhar um relato sensível de um dos frequentadores do ambiente de lazer. A pessoa que me fez o relato já apresenta uma idade avançada e é uma daquelas que todos conhecem por viver há décadas na cidade e possuir vasta experiência de vida. Sua importância para a comunidade local é comparada à dos griots africanos, os “contadores de histórias”, os guardiões da memória, os responsáveis por transmitir os valores culturais e tradicionais, as crenças e a história dos antepassados aos mais jovens por meio da narrativa. Coincidentemente, nos encontramos exatamente em um ponto específico do trajeto da caminhada onde começamos a dialogar.


Como é de costume em quase todo início de conversa, primeiro dialogamos sobre o clima, especificamente pela inconstância do mesmo nos últimos dias na nossa região. Logo, comentamos sobre a importância da caminhada para a saúde, onde confessou-me que por indicação do médico havia iniciado a atividade física. Por conseguinte, falamos do aumento de furtos, roubos e consumo de entorpecentes em nossa comunidade, em que pude notar uma preocupação exacerbada. Além de outros temas que foram surgindo naturalmente, como futebol, juventude e estudos, começamos a dialogar sobre política. Esse último tema merece atenção.


Quando a política começou a permear o diálogo ao passo que caminhávamos, uma parte da narrativa proferida me chamou a atenção, que transcrevo literalmente aqui pois ainda se preserva fresca em minha memória: “rapaz, nós temos que votar no Lula neste ano, porque o Lula foi bom demais para os pobres. Antes pobre não tinha moto, não tinha carro; antes pobre nem viajava de avião, não tinha casa e ainda passava fome”. Sem querer demonstrar que eu acreditava totalmente no que eu ouvia, porque gostaria de continuar ouvindo, porém, sem induzir nem uma espécie de argumento “forçado”, fiz uma pergunta despretensiosa: “então o senhor acha que o Lula foi importante?” A resposta foi enfática: “demais da conta [...] hoje se eu tenho alguma coisinha é por causa do Lula; o Lula tirou nós da miséria, da pobreza e da fome”.


O diálogo sobre Lula continuou com a preocupação por parte da pessoa na possibilidade de Lula ficar inelegível ainda este ano. Preocupação maior quando constatado que não se tinha em pauta, ao menos por agora, alguém capaz de ser tão representativo da melhoria das condições de vida para a classe trabalhadora como Lula o é, a concorrer ao pleito eleitoral. A ênfase da referida apreensão quanto ao futuro político do país se revelou ainda maior quando da possibilidade de ter-se um possível candidato defensor do armamento generalizado e contra as minorias. Após ter finalizado sua narrativa, pude corroborar e colocar diante daquele relato minha defesa pretensa de Lula e de seu legado.


Quando resolvi escrever esse texto, o decidi porque achei importante ressaltar que para pessoas como estas que dialoguei recentemente, pertencentes à classe trabalhadora, o que importa são as condições reais vida. O trabalhador vende a sua força de trabalho em troca de um salário mínimo para comprar comida, roupas, utensílios domésticos e arcar com despesas de água e energia elétrica (quando lhe é fornecido esses serviços). Quando o trabalhador se depara com um governo que se preocupa com suas necessidades, que lhe tira da pobreza, erradica a fome, cede condições de poder estudar até mesmo fora do país, de poder ter uma casa própria, viajar e aumentar a qualidade de vida, o que se vê é a defesa desse governo. Lula é para boa parte da classe trabalhadora o presidente que mais fez pelos pobres e minorias, justamente porque empenhou-se para diminuir a desigualdade social e de renda e melhorar as condições de vida e reprodução social da classe trabalhadora.


Não é preciso ser estudado, ter mestrado ou doutorado; possuir vasta experiência na política para entender que Lula ainda é o expoente para grande parte da população pobre deste país. Não é necessário ser um PHD em Ciência Política para ver que seu governo fez para os pobres o que outros jamais fizeram. Já ouvi de muitos trabalhadores que as razões para continuar votando em Lula ainda permanecem mais claras e objetivas do que os escândalos que a grande mídia propaga com intensões esdrúxulas de impedir novamente a ascensão de Lula ao poder. Para o trabalhador as verdadeiras mudanças no cotidiano e a genuína transformação social se dá na prática, na realidade do dia-a-dia, na melhoria das condições e qualidade de vida. As razões e os argumentos de o porque votar em Lula em 2018 já ficaram bem nítidas ao longo do texto. Não é caduca a afirmação, exposta em todo e qualquer cenário de pesquisa de intenções de voto, a liderança de Lula no pleito eleitoral deste ano.


Lembro-me que uma vez ouvi de um amigo em um evento que participamos juntos que quando eu falo, eu falo de algum lugar, de um ponto especifico da realidade social. Resta perguntarmos de que lugar eu falo? De onde? E para quem? Certo disto, sei que na atual conjuntura é cada vez mais preciso nos posicionarmos e defendermos o que realmente acreditamos.


Boa semana para todos vocês.

3,431 visualizações

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."

Platão

Contador de 

Visitas:

Siga o Além dos Muros

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon