Haverá mais um dia?


Texto: César Camargo


Não é mais um dia somente

O domingo sangrento se estende à eternidade

Haverá momentos novos?


Haverá um abraço de verdade?

Haverá dias de sol no parque?

De encontrar os olhares?

De reencontrar esperança?

Haverá o momento de não sentir tristeza?

De estar em família?

Haverá um momento de sermos melhores?

De retomar a fé que foi perdida?


Por este tempo que viverei,

Continuo a esperar!

Haverá o momento de perder a ignorância

Daqueles que te fazem arrogantes.


Haverá o momento de suportar o sofrimento

Como um choro que dilacera

Haverá o momento dos hipócritas se reconhecerem.


Haverá o momento de encher as sinagogas

De ajoelhar-se em direção a Meca

Da fé oculta iluminar os corações

Chorar de verdade por aqueles que não conhecemos.


Por uma eternidade os dias seguem

Nós, continuamos a sangrar.

Haverá o momento de não sentir tristeza

Quando o sol iluminar as janelas dos quartos

De não estar distante

De partir e retornar.


O sol que está comigo

Acompanhará seus caminhos

Como um rio que corre para o mar

Ele ilumina o horizonte

Em chamas, distante sem nunca o tocar.


Haverá um momento

Sereno, depois da tempestade à espera do amor

No final, há esperança!

Mas ainda sinto falta

E a tempestade não vai embora.


Onde está o amor?


Haverá, ainda, neste momento

A dúvida na esperança

Pelas multidões que caminham

E se ignoram.


Não consigo ter esperança!

A tempestade não parte

O momento persiste


Onde está o amor?

Mas haverá um momento?

Por uma eternidade, os dias seguem.

O desprezo enche as sepulturas

E os dias vão embora

E as dores no peito

Não param!

Temos esperança?


As multidões caminham

Lápides, e mais lápides


Onde está o amor?

Por quanto tempo ainda?


A batalha nos chama

Cruzaremos a tempestade

Muitos cairão

Haverá um momento

De dizer quem venceu

Conte as lápides!

Pais, filhos, avós

Irmãos!


Do que adianta agora?


O dia calmo não chega

Continuamos a sangrar

O sol que está comigo,

Não aquece!


Limpem as lágrimas

Haverá o momento de chorar

Não temos tempo!

O sofrimento e a dor nos cortam

Temos que resistir

As notícias de hoje serão as mesmas de amanhã.


As pessoas não se importam

Em que janela o sol brilha

Ou a luta que foi perdida,

Ou as lágrimas que caem.

Não consigo ter esperança!

Ainda que meu coração peça!

A tristeza dilacera


Haverá um momento?

Haverá um momento de nos rendermos?

De deixar que tudo isso passe?


Se pudesse, através de mim

Quebrar as correntes dos espíritos

Ao caminho da luz, os guiar!

Deixar que tudo isso passe

Sem desespero, sem tentação.


O rio segue seu caminho

Como o rio, continuamos

Venceremos a tempestade?

A tristeza dilacera!


Ainda vejo esperança!

Onde está o amor?




29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo