Fantasmas de um milagre



Homens caminham nos trilhos de algum destino

Traçado e determinado por algum presságio

Para algum lugar onde todos já imaginam saber

Fogueiras iluminam seus caminhos

Mesmo diante da convicção, não há mais volta

Pelas marcas no chão de seus passos

Migalhas de suas guerras

Terríveis foram os tempos deixados para trás.


As incertezas se direcionam ao horizonte

Lutas, sofrimento e dor nos acompanham

Combalidos, continuamos no trajeto

Sem um bom dia, ou uma boa noite

Desde sempre está sina nos acompanha

Mesmo agora, não muda.


Homens caminham nos trilhos de algum destino

Para algum lugar onde todos já imaginam saber.


Famílias unidas no descaso estabelecido

Sem à dignidade do trabalho

Sem o descanso por não ter tempo

Não ter tempo, por ter fome.

O caminho está lotado de pessoas

A todo momento mais se juntam

Não existe linha torta

Todos, sem querer, se unem

Esta noite e nas próximas manhãs

Parecem estar vivas, mas não se enganem

Sem os dias bons ou as noites boas

Todos não passam de ilusão

Sobrevivendo aos seus calvários impostos

A espera de algum milagre que não vem

Sentado à luz de cada fogueira

A espera de que o frio passe

Que o medo me esqueça

Que alguma justiça seja feita

Seguindo os mesmos passos que outros seguem.


Homens caminham nos trilhos de algum destino

Para algum lugar onde todos já imaginam saber.


Todos deveríamos

Ou pelo menos achamos que sim.

O que pode ser feito diferente?

Como podemos mudar a direção?

Apagar as fogueiras, ficar na escuridão

Se perder no infinito caminho

Para poderem se achar sozinhos.

Não se esqueça de tudo que foi percorrido

Todas as feridas abertas

Dos livros e canções antes de dormir

Das palavras e ações que nos martirizam

De todo o tempo em que fomos sempre os últimos

Das mudanças que nunca ocorreram

De todos os primeiros que nunca perderam

Que passam por uma ponte em seu limbo

Pisam em todos que estão por baixo

Não estendem a mão a quem precisa

Ignoram o fim da estrada

Suas terras não são aquelas que foram prometidas.


Homens caminham nos trilhos de algum destino

Para algum lugar onde todos já imaginam saber.


Dormimos em colchões de espinhos

Nossas costas marcadas pelos castigos

A todo momento o passado se torna real

A estrada parece estar viva

Nossa reação inexiste.

Esperamos por fantasmas de um milagre

Mesmo por tudo, e por onde passamos

E ainda aqui, a luz das fogueiras

Esperamos que os espíritos nos guiem.

Onde houver injustiça

Onde houver crianças em sofrimento

Ou luta contra o ódio

Nossos trilhos são semelhantes

Todos deveríamos saber

Todos deveríamos estar lá

Onde houver combate pela vida

Ou alguém que lute pelo seu lugar

Por todos serem amigos em paz.


Onde existir alguém que lute pela liberdade

Todos deveríamos saber e estar lá

Olhemos nos olhos uns dos outros

E façamos nosso milagre.

Homens caminham nos trilhos de algum destino

Traçado e determinado por algum presságio

Para algum lugar onde todos já imaginam saber.



26 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Por que?